Avançar para o conteúdo principal

Anaquim e a Vida dos Outros


Anaquim nasceu em 2008 no Festival Santos da Casa, cresceu a um bom ritmo e no ano passado surgiu “A Vida dos Outros”, o álbum de estreia da banda liderada pelo “saltimbanco” José Rebola. Tem como companheiros de viagem, João Santiago, Pedro Ferreira, Filipe Ferreira e Luís Duarte. Percorrem o país personificando a vida de tantos outros, nos temas, nas actuações e nas histórias que contam. 

Por Carmen Gonçalves 

Anaquim é  um personagem voltado para o nosso país, para o Portugal que ama. Vai relatando episódios, criticando a sociedade sem nunca perder um certo humor negro. Impossível não compara-los aos Deolinda, pela sua portugalidade, pelo seu trejeito mais popular e também pelo sucesso do primeiro single.

 

E é tão forte esta ligação, que a grande surpresa do álbum surge na faixa “O Meu Coração”, em que Rebola dialoga com Ana Bacalhau dos Deolinda, tema que roça o lado mais fadista do povo português. 

Mas o grande vínculo ao nosso país emerge no tema “Lusíadas”, como não poderia deixar de ser. Um retrato mais profundo da nossa sociedade: "Gosto tanto deste país, só não entendo o que o faz feliz/ Se é rir da miséria dos outros, quando a vemos/ Ou chorar da nossa própria, quando a temos".



No fundo este álbum compila pedaços de músicas que narram episódios do quotidiano, ornamentados sempre pela língua de Camões e pelos mais criativos efeitos musicais. Trata-se de um registo fácil de digerir, como indica na abertura, leve, humorístico e de uma genialidade tremenda. 

É a imagem de Portugal vista através dos olhos de um duende saltitão e curioso, de seu nome Anaquim.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …