Avançar para o conteúdo principal

Le Tigre em Modo Pop



O Modo Pop hoje traz-vos mais uns guerreiros da cena indie. Também eles são três e com uma mulher a liderar. Yeah Yeah Yeahs preparem as armas , porque os Le Tigre estão TKO. 

Por Ana Luísa Silva

Johanna Fateman e Katheleen Hanna conheceram-se há mais de uma década durante um pequeno espectáculo para bandas de garagem e foi amor à primeira vista. O jeito de Johanna para com a construção de letras encantou Katheleen. Em 1998, com a mudança de Kathleen para Nova Iorque, dão o pontapé de saída. A elas juntou-se JD Samson e assim formam-se os Le Tigre.

Um ano antes,  Katheleen tinha ido até Chicago para fazer um vídeo sob o pseudónimo de Julie Ruin com a sua amiga Sadie Benning. A última mostrou-se interessada em trabalhar com efeitos visuais e ajudando nas músicas. Assim, quando Katheleen chegou a Nova Iorque, juntamente com Johanna tentaram levar a “Julie Ruin” para espectáculos ao vivo, mas acabaram por escreverem juntas para os Le Tigre e lançaram o primeiro álbum. Sadie não durou muito no grupo.

Com ideias muito “à frente”, o trio pretendia mostrar ao Mundo um novo conceito de música pop feminista que desse para dançar até cair. Na mente dos três, a noção do novo conceito agravava-se com a teoria que era bem mais fácil de retratar como a ironia ou o básico. Eles pretendiam ser sinceros e correr riscos como aconteceu com a música Hot Topic escrita por Katheleen, cuja mensagem é para todos os defensores do feminismo e das artistas femininas.

E mais feminino do que a música “TKO” não há. Basta verem o vídeo onde cabelos à anos 50 e roupas marcadamente “menineiras” e românticas, marcam o que os Le Tigre sempre desejaram. Ganharam a fama e o mérito é só deles.
 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …