Avançar para o conteúdo principal

James Blake em Modo Pop



James Blake é um jovem compositor inglês de música electrónica, filho do guitarrista James Litherland (ex- Colosseum, Mogul Thrash ou Bandit).  E como filho de peixe sabe nadar, Blake não foge à regra e já é um dos nomes de 2011 a memorizar, hoje em modo pop.

Por Paula Cavaco


Blake começou a sua carreira musical com o lançamento de "Air & Lack Thereof", em 2009, com o “selo” da editora Hemlock Recordings, o qual teve uma ampla divulgação por ter “caído nas graças” do Dj Gilles Peterson, da BBC, que o convidou para fazer um “remix” no seu concerto internacional, incluindo uma faixa exclusiva da banda inglesa Kimbie Monte.


Em 2010 seria lançado um trio de EP’s: “The Bells Sketch”, “CMYK” e “Klavierwerke” que distinguiu Blake dos seus pares na música electrónica inglesa de inspiração no “dubstep” (um género de musica electrónica surgido no Sul de Londres, no início da década de 2000, centrada em torno do Baixo, baseando-se em muitas influências musicais que vão desde o “Dub”, “Reggae”, “d'n'b”, “Jungle”, “UK Garage”, “Grime”, “Techno” e “IDM”).  Ao mesmo tempo que surgia também com uma “cover” de “Limit to Your Love”, original da canadiana Leslie Feist, lançado enquanto “single”. O trabalho foi de tal forma aclamado pela crítica, que transformou Blake numa das esperanças para 2011, ao ser nomeado para figurar no “BBC’s Sound of 2011” (uma espécie de “Top 10” anual de novos talentos, escolhidos por um grupo de críticos e figuras do cenário musical). 

Com efeito , em Janeiro deste ano, quando os “10 melhores” foram anunciados, Blake figurava na segunda posição da “lista”, atrás de Jessie J (primeira classificada) e à frente de bandas como os “The Vaccines”, Jamie Woon ou Clare Maguire (terceiros, quarto e quinta classificados, respectivamente). Ainda durante esse mês, Blake vio o seu “CMYK” distinguido como “Single Of The Year”(2010) (Melhor Single do Ano) pela Gilles Peterson's Worldwide Awards.


E neste clima de euforia é  lançado, no início de Fevereiro de 2011, o seu primeiro trabalho de longa-duração, intitulado “James Blake”. Composto, produzido e gravado inteiramente por Blake, o álbum apresenta-se tal e qual foi feito no seu quarto, porque recusou as sugestões das editoras que o pretendiam regravar com um produtor.


A faixa “Wilhelm Scream” é o “single” de apresentação deste novo trabalho.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …