Avançar para o conteúdo principal

Editorial-Março

 The Strokes


Link da imagem 
Por Irene Leite


O tempo passa num instante. Mais uns meses e os festivais estão mesmo aí, à nossa porta... e ainda bem!

Entretanto, os Strokes supreenderam com o novo "Under Cover of Darkness" , e em Julho esperamos estar no Super Bock Super Rock para conferir ao vivo o impacto do fresco e ansiado tema, juntamente com as restantes musicas do álbum Angles, que chega às lojas a 21 de Março.


Blondie, Elbow, Coldplay, Iggy and The Stooges, Friendly Fires no Alive. Skunk Anansie e Moby no Marés Vivas. Brandon Flowers , Strokes , Arctic Monkeys, The Legendary Tigerman ,Arcade Fire no Super Bock Super Rock. Amy Whinehouse, Scissor Sisters no Sudoeste TMN. Só para dizer alguns nomes. Está bonito,está! Ai as escollhas da carteira....E Paredes de Coura??! Já para não falar da visita do sr. Roger Waters a Portugal. O muro vai cair no Pavilhão AtlÂntico a 21 e 22 de Março e os fãs aplaudem. 


Neste mês o  Som À letra vai conferir destaque aos Radiohead, grupo que nunca para de surpreender (nós agradecemos) os fãs, disponibilizando o álbum no seu site para download um dia antes do esperado. O novo trabalho já circula pelas redes sociais e lotus flower entrou logo para as preferências de muitos, aquando o primeiro dia de lançamento do video. Motivo mais que suficiente para uma visita à carreira de Thom Yorke e companhia, juntamente com uma crítica ao mais recente trabalho do grupo, The King of Limbs. 


Março também é um mês de regressos e celebrações no Som à Letra. A foto da semana vai regressar para impressionar e dar que pensar. A agenda mensal também está de volta para orientar as  nossas escolhas para  concertos. E por fim,  a emissão radiofónica Som à letra está certinha todas as semanas, activando, mas  ainda a meio gás , a nossa Som FM. O ciberjornal completa ano e meio , com um balanço muito positivo, devido à participação crescente dos nossos leitores e à equipa já bem solidificada,  que proporciona artigos cada vez mais completos e diversificados. Altura propicia para a estreia de uma nova rubrica, o 5 à Letra , em que entrevistamos em tempo record músicos/ profissionais da actualidade ligados à musica


Temos ainda tempo para viajar no passado, para ir de encontro a series bem divertidas que marcaram uma década, como o o Alf, Ally Mcbeal, o Terceiro Calhau a Confar do Sol, e Friends. Lembram-se?... E do Video Take on Me, dos A-HA? 


Também estamos atentos a James Blake e Lykke li, Anaquim, Pinto Ferreira , B Fachada...Recordamos o trabalho de Cesário Verde e Sophia de Mello Breyner. Viajamos no tempo ao som dos Sitiados, Doutores e Engenheiros , The Feelies, Gary Moore, entre tantos outros. 


Um teaser do ciberjornal já está a ser pensado, bem como o site. A vossa ajuda é imprescindível. Já sabem que o Som À Letra é  para “ouver” e participar, sempre.

Obrigada!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …