Avançar para o conteúdo principal

You got Mail: Janeiro

 Deolinda

Link da imagem

E ao décimo-segundo mês de 2010, sai finalmente para o mercado um dos mais aguardados discos do ano. Obviamente,”Michael”. O primeiro (sim, o segundo já está em produção), álbum póstumo do Rei da Pop traz canções inéditas, algumas delas com anexos de primeira linha; Lenny Kravitz, Dave Grohl, 50 Cent e Akon que divide com Michael Jackson “Hold my Hand”, o single de avanço. Muito já se disse e escreveu sobre este álbum e as suas canções; opiniões e teorias da conspiração à parte, digo eu que, por tudo o que representa, “Michael” é sem dúvida uma chave de ouro para fechar 2010. 

Foi também em Dezembro passado que assistimos a dois notáveis regressos. Por cá os Ban de João Loureiro, que não gravavam desde “Mundo de Aventuras” de 1991,estão de volta com “Dansity”, e lá por fora, para os lados de Abbey Road (a popular passadeira foi finalmente considerada património cultural) assistiu-se com mais circunstância do que pompa à edição de “Progress”, o novíssimo álbum dos Take That, uma das mais bem sucedidas bandas da ultima década. 

De Londres damos um pulo a Liverpool para assinalar a 8 de Dezembro, o 30º Aniversário da morte de John Lennon. “Imagine” é cada vez mais um sonho por cumprir! Herbie (Cantaloup) Hancock esteve em Lisboa e no Porto para mostrar o novo “The Imagine Project”, um disco cheio de estrelas e canções Pop. Não esquecer ainda que o último mês do ano ecebeu a  terceira  Edição do Super Bock em Stock em Lisboa, que o Pavilhão Atlântico esgotou para ver Lady Gaga, para muitos a natural sucessora da (ainda) Rainha da Pop, Madonna. A autora de “Bad Romance” decidiu elevar a fasquia para 2011 e garantiu aos fãs estar a fazer o melhor disco dos últimos vinte anos.

As notas finais vão para Celeste Rodrigues, Deolinda e Radiohead. A irmã de Amália Rodrigues é a mais antiga fadista de Lisboa no activo e decidiu convidar alguns amigos para com eles celebrar num espectáculo na Capital, os seus 65 anos de carreira. Quanto aos alfacinhas Deolinda foram mais uma vez distinguidos pelo conceituado jornal britânico Sunday Times, que considerou “Dois selos e um carimbo“, um dos melhores discos de World Music and Jazz de 2010. “ Num estudo efectuado em toda a Grâ Bretanha, “Ok Computer” dos Radiohead foi unanimemente considerado o melhor álbum dos últimos 25 anos.
Contas feitas: em dois mil e onze, o melhor mesmo é separar sempre, a boa música da música boa, até porque como diria Elvis Costello “a vida não rima”
Na expectativa – a nova data (ou datas) para o concerto(s) dos Arcade Fire em Portugal e o novo álbum dos Blur pós Gorilaz.

Feliz 2011

António Jorge 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …