Avançar para o conteúdo principal

Táxi no Luso Vintage


 Link da imagem

Quem não se recorda do tema “Chiclete”, que durante a década de 80 rodava incessantemente nas rádios nacionais? Os Táxi são considerados  uma das melhores bandas portuguesas, bebendo influências musicais numa época em que reinava o Pós-Punk e a New Wave.

Por Carmen Gonçalves

Formaram-se em 1979 sob o nome de Táxi, na cidade do Porto, numa formação que incluía João Grande (voz), Henrique Oliveira (guitarra), Rodrigo Freitas (bateria) e Rui Taborda (baixo). Nesta altura compunham em Inglês e actuavam em clubes, e foi num desses concertos, em Fevereiro de 1981, que foram descobertos pela editora Polygram e convidados a gravar um álbum. Contudo, impuseram-lhes uma condição: que gravassem um disco inteiramente em português.

Surge assim o álbum homónimo “Táxi”, gravado apenas numa semana, e que conta com o single de apresentação “Chiclete”.



Em Maio de 1981 estreiam-se ao vivo em Lisboa, actuando na primeira parte do concerto dos Clash. Em Agosto desse mesmo ano registam uma venda superior a 35.000 unidades, tendo obtido o disco de ouro. Ficam, assim, para história da música nacional como sendo a primeira banda de rock português a obter este galardão.

Após um ano repleto de concertos, em 1982 editam o segundo registo de originais cantado em português. “Cairo” obteve o mesmo sucesso que o antecessor, tendo em três dias vendido mais de 15.000 álbuns, o equivalente a um disco de prata. Umas semanas depois viria a ser-lhe atribuído o disco de ouro, e anos mais tarde foi considerado pelo Jornal Público um dos dez melhores discos de sempre da música nacional.

O álbum, inovador para a época, demonstrava a criatividade da banda logo a julgar pela embalagem: uma capa de lata em formato circular, com imagens alusivas à temática egípcia. Este novo trabalho incluía os temas “O Fio da Navalha", "1, 2, Esq. Dtº." e “Cairo”.




Em 1983 foi editado um novo álbum da banda, “Salutz”, que incluía o tema “Sing Sing Club”. A apresentação realizou-se em Lisboa no Estádio do Restelo, abrindo a primeira parte do concerto de Rod Stewart. Dois anos mais tarde a banda deslocou-se até a Hamburgo na Alemanha para gravar o single "Sozinho / In The Twinkling Of An Eye".



Um novo registo de originais chegou às lojas em 1987 com a edição de “The Night”, um disco inteiramente gravado em inglês, que incluía os temas “Screamin’ Love” e “Never On Sunday”. O disco teve pouco impacto junto do público e talvez por isso, a banda abandonou os concertos.

Só dez anos depois, o colectivo se reuniu novamente para concertos na Queima das Fitas de Coimbra e do Porto, assim como no Festival Roma Mega Rock. Mais tarde foram convidados para o espectáculo comemorativo dos 25 anos do programa da Rádio Comercial /Onda Média “Febre de Sábado de Manhã” de Júlio Isidro, e participaram no Festival Vilar de Mouros. Conciliando o trabalho de estúdio e as actuações ao vivo, em Junho de 2009 foi editado o álbum “Amanhã”, tendo sido apresentado à posterior em diversos concertos.

Apesar de um interregno de mais de 20 anos, os Táxi voltaram aos discos e aos temas cantados em português, talvez na procura de um reencontro com o público e um regresso ao sucesso de outrora. Apesar de menos vigorante e sem êxito imediato junto dos ouvintes, os Táxi estão para ficar e quem sabe se com mais um álbum na calha.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …