Avançar para o conteúdo principal

Os Golpes no Inovaluso


Link da imagem


Assumem-se como amantes de Portugal e por isso mesmo usam símbolos nacionais, transformando-os em iconografia pop. São, a par de António Variações e dos GNR, uma das referências dos artistas associados à editora Amor Fúria. São os Golpes (e não Heróis do Mar), no Inovaluso. 

Por Gabriela Chagas

Nasceram em 2008 e tiveram o seu primeiro disco,“Cruz Vermelha sobre fundo branco”, gravado pela Companhia Amor Fúria, tendo figurado em várias listas do ano de 2009.

Na verdade, a banda oriunda de Lisboa nasceu dois anos antes com outro nome, um pouco mais comprido: Os 400 Golpes. Mas a formação é a mesma.

São quatro os golpes que compõem a nova sonoridade Indie Pop portuguesa, com melodias de guitarra e baixo: Nuno dos Golpes, Pedro da Rosa dos Golpes, Luís d'Os Golpes e Manuel Fúria dos Golpes.

A simbologia nacional leva a identificá-los com uma outra banda de grande sucesso nos anos 80 e que marcou uma época e uma geração, os Heróis do Mar.

É a sua portugalidade que os aproxima mas, garantem, sem qualquer nacionalismo exacerbado.
E essa proximidade é agora de alguma forma visível com a participação de Rui Pregal da Cunha, dos Heróis do Mar, no tema Vá Lá Senhora, extraído do novo álbum da banda intitulado G, apresentado ao vivo no Convento das Bernardas (Museu da Marioneta), em Lisboa, a 30 de Setembro, e no Hard Club, no Porto, a 7 de Outubro.



A 14 de Janeiro, no Cinema São Jorge em Lisboa, a sonoridade de Os Golpes poderá ser ouvida a par de Linda Martini, Peste & Sida, Moonspell e Xutos & Pontapés durante a noite de tributo a António Sérgio que cumpriria o seu 61º aniversário no mesmo dia.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …