Avançar para o conteúdo principal

You Got Mail






De volta aos meses normais, o primaveril Março deu-nos mais três dias para ouvir e ver boa música. Ainda que diga-se, os anteriores vinte e oito não tenham sido nada maus. Um pouco à imagem da actual situação económica europeia; os números da facturação directa e indirecta com a música sofreram só em Portugal uma descida de 18 por cento. Vamos ter esperança em melhores dias com mais canções de qualidade e downloads em conformidade.

Por António Jorge

 E é precisamente de download em download que a jovem Californiana Rebecca Flack, autora de “ Friday”, eleita quase por unanimidade nos vários canais de critica especializada, como a pior canção de sempre; vê o seu tema subir à 40ª posição das músicas mais vendidas no ITunes, e soma já cerca de trinta milhões de visualizações no Youtube. Se eu tivesse uma bola de cristal, será que veria um Justin Bieber de saias? Futurologias e ficções à parte, os portugueses Clã posaram o novo “Disco Voador” em várias escolas para contarem e cantarem algumas das novas canções da banda. O sucesso foi mais que muito e rapidamente,”Disco Voador”, um álbum a pensar nos mais novinhos e mais novos, voou das escolas para os palcos, estando o próximo voo já marcado para este mês, com escalas previstas em vários pontos de venda. 

Também os The Gift estão de parabéns, não só porque, para não variar,  regressam com um excelente disco (de ruptura, segundo os próprios), mas também pela brilhante ideia de usar os actores Isabel Lucas e Lukas Haas no vídeo de “Made foy you”, single de avanço de Explode, assumindo estes, a autoria do tema. Durante duas semanas a sabedora e iluminada crítica norte-americana teceu gloriosos elogios ao duo Lucas & Lukas, chegando mesmo a considerá-los uma das maiores revelações dos últimos dez anos. Revelada a verdade e o fantástico rasgo de marketing dos The Gift, “Made for you”, rapidamente passou de uma sublime e brilhante canção do duo Lucas & Lukas, para uma boa canção de uma banda portuguesa. Bingo! Os The Gift têm direito a mais uma vénia; um dos concertos da banda em Lisboa foi acompanhado por linguagem gestual portuguesa e audiodescrição em directo. E sim, os The Gift são portugueses.Just in case!

Foi também em Março que o prestigiado New York Times decidiu (e bem) fazer um trabalho de fundo sobre o “nosso” Fado. 

Sete Grammys, um Oscar e centenas de discos e concertos depois, Phil Collins talvez embalado pelas cores e aromas primaveris, revelou em conferência de imprensa, que não voltará a gravar ou a cantar. 

Em contrapartida, os fãs de Dr. House podem continuar a sorrir porque Hugh Laurie, o actor/cantor que dá vida ao mais famoso médico de bengala, anunciou que o seu disco “Let them Talk” sairá em Abril. 

Notas finais para a edição na Europa do EP “Hormoaning”, dos Nirvana, ainda para a distribuição gratuita na baixa de Lisboa (e outras cinco cidades europeias) do Jornal Universal Sigh, órgão oficial dos Radiohead e finalmente, para o último concerto dos LCD Soundsystem, já amanhã Sábado, dia 2, em Nova York que pode (e deve) ser seguido em directo via Pitchfork.tv . Ah claro, o conceituadíssimo Oxford English Dictionary anunciou em Março que irá acrescentar à sua lista de palavras as siglas OMG (oh my god) e LOL (laughing out loud); há dúvidas?

Para o caminho, a ouvir as faixas de “Explode” vou pensando nas respostas para duas perguntas da Tia Elvira, minha ilustre vizinha de 85 anos. «ouve cá, quem são aqueles que ganharam o Festival da Canção?» e «porque é que o Elton Jones (sim, a Tia Elvira diz Elton Jones) disse na televisão que é uma mulher moderna?». Enfim, esta “Luta” diária é Alegria, pá!

P.S. Já tínhamos tido em 1994 Pink Floyd sem Roger Waters, dias 21 e 22 de Março tivemos Roger Waters sem Pink Floyd. Claro como água; não podemos ter tudo!

Comentários

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …