Avançar para o conteúdo principal

Gouveia Art Rock

Peter Hammill
  
Revivalismo e Vanguarda


Há oito anos Gouveia recebe um festival em que o rock progressivo é o grande protagonista. Um espectáculo para nichos, onde a liberdade artística impera. 

Por Irene Leite


A edição deste ano, a realizar-se entre 30 de Abril e 1 de Maio no Teatro Cine de Gouveia, conta com um eléctico leque de artistas. Alamaailman Vasarat , Aranis ,  BASta! , Caravan, Shirley Hofmann ,  Three Friends ,  Yugen , para além do regresso do líder dos Van der Graaf Generator, Peter Hammill, preenchem o cartaz do Gouveia Art Rock 2011."O líder dos Van der Graaf Generator é um verdadeiro amante de Gouveia. Estreou-se no festival em 2006 e desde então mantém uma excelente relação com o festival, ao ponto de ter vindo com os reunidos Van der Graaf Generator em 2008 e de nem ter hesitado um segundo quando foi convidado a voltar para a edição deste ano", explica Luís Miguel Loureiro, da organização do GAR.

As origens

"O festival surgiu essencialmente da conjugação de dois factos: primeiro, o encontro, facilitado pela internet, dos entusiastas de música progressiva, a partir da segunda metade da década de 90, conta Luís Miguel Loureiro ao Som à Letra . Por outro lado, "a maior facilidade de produzir música a baixos custos permitiu a muitos compositores e músicos independentes a realização de um sonho: explorar mais as possibilidades da música, partir à aventura sem amarras".

"Gouveia Art Rock resulta, ainda hoje, desse cruzamento: entre as referências originais do final dos anos 1960 e os artistas inovadores e vanguardistas que fazem da procura e da aventura sonora o seu campo de criação", conclui Luís Miguel Loureiro.

O evento abraça anualmente entre 450 a 500 pessoas, provenientes de países como o Japão, Chile, Brasil, Israel, EUA, ou Canadá.  "Para não falar de quase todos os países europeus, em especial do público que vem de Espanha que costuma ser cerca de 25% do público total do festival. Este ano, teremos em Gouveia um grupo de pessoas que se desloca de Moscovo", acrescenta .

Um festival para  nichos
"É uma questão de ADN, de identidade"


O Gouveia Art Rock  assume-se como um festival pequeno , pretendendo continuar nesta linha . "É uma questão de ADN, de identidade", explica Luís Miguel Loureiro.

Apesar de 2011 ser um ano complicado,  com cortes orçamentais por parte das câmaras na cultura, o evento mantém-se. " Por uma razão simples: o festival tem tido um retorno total", sendo um importante factor de turismo rural.
    
Abrindo apetites: 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …