Avançar para o conteúdo principal

The Kinks em Modo Classic Rock




É uma das músicas mais rock’n roll de sempre e conheceu várias versões ao longo de quatro décadas. Bandas como Van Halen ou Metallica revisitaram o tema, conferindo-lhe uma personalidade própria. Também por cá não foi excepção, tendo os Wraygunn recriado a sua própria versão. Assenta que nem uma luva na voz e no génio de Paulo Furtado, mas para se conhecer a sua origem, há que recuar ao Verão de 1964 e ao universo dos The Kinks. 

Por Carmen Gonçalves 


Depois de terem dado os primeiros passos com o lançamento de dois singles, pode-se afirmar que à terceira foi de vez. “You Really Got Me”, produzido por Ray Davies para a sua banda, foi o terceiro registo musical a ser editado, mas foi o primeiro grande hit dos The Kinks. Em apenas um mês ascendeu ao primeiro lugar do chart britânico, tendo permanecido inabalável nas semanas seguintes. Este êxito galgou fronteiras e foi em direcção aos Estados Unidos, onde alcançou a 7ª posição no Top americano, tendo sido uma das primeiras bandas britânicas a atravessar o Atlântico e a desbravar a “terra dos sonhos”. 

O sucesso foi tão grande que serviu de publicidade para a própria banda. De um momento para o outro tiveram vários convites para actuarem em programas televisivos, para serem capa de revistas e ainda para fazerem a primeira parte de dois concertos dos The Beatles. Nesta altura, ainda não tinham nenhum álbum editado, e este êxito repentino apressou o lançamento do homónimo “Kinks”, que contava apenas com cinco temas originais sendo os restantes covers de músicas R&B. 

Com cerca de trinta anos de carreira e mais de vinte álbuns editados, este é o tema mais marcante dos The Kinks. Possui uma estrutura rock quase perfeita, se atendermos ao refrão e ao solo de guitarra, e influenciou uma grande parte de bandas de hard rock e de heavy metal. A revista Rolling Stone colocou em 4º lugar na lista das 100 melhores músicas rock de sempre. Em 2005 foi considerada pela BBC como a melhor música britânica da década de 1955-1965.

O mais curioso é que a primeira demo gravada tinha a duração de seis minutos, e apesar da versão original editada ter pouco mais de dois minutos, é um dos maiores exemplos do rock puro e duro.



A cover dos Wraygunn

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …