Avançar para o conteúdo principal

Adele em Modo Pop



Com apenas 23 anos a jovem Adele tem já dois álbuns editados e uma sólida carreira construída. Dona de uma poderosa voz, a influência da música soul é notória na fortíssima emotividade que coloca em cada canção. Ouvir Adele é receber uma surpreendente descarga de energia que nos deixa um arrepiozinho no fundo das costas. 

Por Susana Terra

Desde muito jovem Adele refere ter tido uma queda para a música. Em frente ao espelho com um microfone (fictício) na mão sentia-se um peixe dentro de água, enquanto interpretava os temas das suas heroínas de então – Gabrielle e as Spice Girls (quem não se lembra deste fenómeno…). Entretanto surge a paixão pela poesia cantada e toma como ídolos Etta James, Jill Scott, Jeff Buckley e os The Cure, passando então a compor os seus próprios temas.

Até aos 16 anos estudou numa escola artística no sul de Londres, onde teve como companheira nada mais nada menos que Leona Lewis. Durante este período de estudos, Adele consolidou a sua vocação para o canto e composição e como resultado de um projecto escolar, um amigo publica três canções suas no Myspace. Dois anos depois, em 2006, é contratada pela XL Recordings e lança a canção “Hometown Glory”. Contudo, será o estrondoso single “Chasing Pavements” (2008) a conquistar definitivamente o público, duas semanas antes de lançar o seu primeiro álbum “19”, a sua idade de então. 

Após conquistar o Reino Unido, eis que se abrem as portas para os Estados Unidos. Adele cancela uma primeira digressão mas é recompensada com uma segunda oportunidade, actuando no programa Saturday Night Live. O resultado está à vista – as vendas do seu álbum disparam e é convidada para nova digressão. A consagração chega em 2009 e 2010, ao ganhar três prémios Grammy para melhor voz a artista revelação.

O seu mais recentíssimo trabalho “21” foi lançado no início deste ano e conta com o poderoso single “Rolling in the Deep”, denominado por Adele como um tema "dark bluesy gospel disco tune” que certamente não será alheio aos nossos ouvidos. “21” pode ser considerado o disco de transição para a idade adulta, assente num refinar do gosto musical de Adele e numa exploração de sonoridades vincadamente blues e country.

Abrindo apetites:


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …