Avançar para o conteúdo principal

Espaço Rock em Portugal


"O agente Totó"

Os Peste & Sida nasceram no final da década de 1980. Foram uma das bandas mais influentes do panorama Punk Rock português.

Por Aristides Duarte
Originalmente publicado a 4 de Outubro de 2010


No final da década de 1990 terminaram, após terem formado uma banda paralela chamada Despe e Siga. Apenas João San Payo queria manter as duas bandas em simultâneo. Os restantes membros preferiram continuar, apenas, como Despe e Siga e João San Payo saiu . Os Peste & Sida terminaram.

Logo a seguir, San Payo ligou-se a outras bandas como os Los Tomatos, mas nunca abandonou a ideia de regressar, um dia, com os Peste & Sida.

Em 2004 os Peste & Sida regressaram com San Payo e o vocalista original João Pedro Almendra. Os restantes membros foram recrutados noutras bandas. Ainda continuam no activo, prometendo para breve um novo álbum de originais.

A história que João São Payo nos contou passou-se numa localidade do distrito da Guarda que já não consegue identificar, no final dos anos 90.

O concerto era um dos primeiros que a banda fazia usando o sistema de emissor/receptor das guitarras. Ou seja, as guitarras não necessitavam de “jack” para se fazerem ouvir nos amplificadores.

Quando o concerto terminou, estando os membros já descontraídos no camarim, surgiu o agente local que tinha comprado o espectáculo, que se recusava a pagar o “cachet” combinado. Tudo porque ele afirmava que tinha contratado o grupo para tocar ao vivo e não em “play-back”. Claro, se ele não via os fios ligados das guitarras aos amplificadores, como é que os músicos poderiam ter estado a tocar? Aquilo só podia ter sido feito em “play-back”.

Apesar das explicações dos músicos, que duraram mais de meia hora, o agente não se convenceu.
Foi, então, necessário recorrer a um “roadie” que foi à carrinha e trouxe uma guitarra, um amplificador e um sistema de “wireless” e os voltou a montar.

Os músicos deram a guitarra ao agente e ele próprio pôde verificar que os músicos não estavam a mentir. Ele passava os dedos nas cordas da guitarra e, sem nenhum fio ligado, conseguia-se ouvir o som da mesma no amplificador.

O agente, com os olhos esbugalhados de espanto, só repetia: - Oh, cargo! Que coisas do carago!! Os músicos, à socapa, fartaram-se rir com o que dizia e fazia esse agente “totó”.


Para recordar (um dos temas mais icònicos do grupo):



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …