Avançar para o conteúdo principal

Espaço "Cine à Letra"


O Cinema de entretenimento está  à carga outra vez. Em Abril assistiu-se a uma imensidão de filmes de acção e sci-fi provindos do estrangeiro e aquilo que se vê é que este registo é para continuar agora no próximo mês à medida que nos aproximamos do verão. Mas também o Cinema falado em português está em destaque, com algumas obras e festivais  em exibição.
Por Miguel Ribeiro 

Desde que 2011 começou, assistimos ao aparecimento de obras muito interessantes, como O Mágico, obra dos mesmos autores de Belleville-Rendez Vous , que teve nomeação para óscar de melhor animação e que merece ser visto, quer nas salas de cinema, quer em casa.
Outros filmes que quero apontar são Poesia, do aclamado realizador Lee Chang-Dong (que ganhou o prémio de melhor argumento em Cannes), Jane Eyre , um drama com a actriz Mia Wasikowska, que se estreou em Alice no País das Maravilhas de Tim Burton e num registo completamente diferente, o filme tailandês O Tio Boonmee que ganhou o Palma de Ouro em Cannes. Três filmes que ainda estão em alguns cinemas do País e que valem a pena serem vistos.

Mas a lista não termina por aqui. Obras de animação como Rio dos autores de Idade do Gelo, que conta com as vozes de actores muito conhecidos como Jesse Eisenberg, Anne Hathaway, Jamie Fox e Rodrigo Santoro e também Thor,  com o conhecido actor/realizador Kenneth Branagh e que conta com Anthony Hopkins, Natalie Portman e Chris Hemsworth no papel do super-herói da Marvel, um filme que promete satisfazer os fãs deste tipo de cinema de entretenimento , em que os efeitos especiais e acção merecem serem experienciados numa sala de cinema.

Acabadinho de estrear temos também o filme Sem Limites, que conta com os talentos de Bradley Cooper e Robert De Niro, uma estória que conta como um escritor falhado experimenta uma nova droga que lhe enaltece física e intelectualmente as suas capacidades, mas que como tudo, tem sempre um lado negro, um bom thriller para ver e que tem um twist interessante.



Não esquecer Potiche, um filme francês que conta com os excelentes Catherine Denéuve e Gérard Depardieu, Gritos 4, a continuação da saga de terror de Wes Craven, e o filme de Michaelangelo Frammartino As Quatro Voltas, película que o New York Times descreveu como uma obra que reinventa o acto de percepção tão próprio do cinema e que lida também com temas espirituais e relacionados com o existencialismo , assim como a nossa relação com a natureza (e que também vai um pouco ao encontro do tema do filme tailandês O Tio Boonmee).

Em exibição em Portugal e em português temos uma das melhores obras a aparecer neste ano de 2011 que é Tropa de Elite 2 – O Inimigo Agora é Outro de José Pandilha e com Wagner Moura que reinterpreta o papel do anti-herói Capitão Nascimento e que nesta segunda película se encontra ainda melhor e a explorar um tema que interessa a todos: a corrupção política e policial; ainda vindo do Brasil temos o documentário O Lixo Estraordinário, onde os realizadores seguiram um fotógrafo que se interessa por pessoas que utilizam materiais do quotidiano e criam e constroem algo com os mesmos. 

De autores portugueses temos O Estranho Caso de Angélica de Manoel de Oliveira, aclamado em festivais como o de Cannes e o de Toronto e que conta a estória de um fotógrafo que no momento em que fotografa Angélica, no seu leito de morte, através da lente e da máquina, observa-a viva, iniciando uma obsessão pela mesma e por quem ela era (ou é); ainda de autores portugueses de mencionar 48, um documentário português de Susana Dias, sobre pessoas que foram interrogadas pela PIDE, com a particularidade de ter sido feito só com fotografias mas que por isso mesmo, a nível de montagem tem um registo único e ao mesmo tempo, poderoso tendo em conta o tema.



Para terminar, de referir a organização do festival de cinema Take-Two, um Festival de Curtas-Metragens na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto a realizar-se nos dias 11 e 12 de Maio, onde se poderá ver os trabalhos de jovens realizadores portugueses, onde o vencedor ganhará uma câmara Reflex Digital Canon EOS 500D.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …