Avançar para o conteúdo principal

Yeah, yeah, yeahs na Dança do Som

 Link da imagem

Nem sempre quantidade é sinónimo de qualidade. Nem sempre de muitos se faz muito.  Quem o prova e comprova são os excêntricos e únicos: Yeah Yeah Yeahs, de visita na Dança do Som desta semana.


Por Ana Luisa Silva

Chegaram até nós como sendo um trio especial e original. Dois rapazes com uma rapariga a liderar não é coisa normal, mas que depressa se entranhou nas nossas vidas.

Os YYY são uma banda de indie rock americana,  formada no início da década dos "00". Karen O (vocalista) e Brian Chase (baterista) conheceram-se nos inícios da década de 90 ainda não passavam de uns pimpolhos estudantes universitários , tão comuns como a maior parte dos que se cruzam connosco na rua. Formaram os “Unitard” mas não durou muito. Pelo menos até se terem deparado com a cena “avant-punk” que emanava a cada dia. Posto isto Chase decide que o ideal seria criarem uma banda trash punk em memória aos colegas de O.

A banda escreveu algumas letras e depressa conseguiu fazer aberturas de concertos de grupos como The Strokes ou os já extintos The White Stripes,  conseguindo cimentar a sua marca na onda do punk.

Foi em 2001 que os YYY finalmente aparecem e lançam o seu primeiro EP, o que os ajuda a lançarem-se sem medo para os palcos internacionais, conseguindo alcançar a Inglaterra sem grande esforço.

Dois anos mais tarde a banda alcança o mais desejável,  e nasce o seu primeiro álbum de originais ,“Fever To Tell”,  que foi cordialmente recebido pela crítica e vendeu mais de 750 000 cópias em todo o planeta, chegando a ser considerado, em 2005, o álbum da década.

Em 2006 é editado o segundo álbum , “Show Your Bones”,  com músicas como “Dudley”, “Phenomena” ou a conhecida “Cheated Hearts”. A voz única de Karen faz derreter os corações da era indie , que se apaixonam por ela a cada batida da música. A música “Gold Lion” atingiu o 18º lugar no Official UK Singles Chart” o que permitiu à banda actuar na Europa e EUA durante grande parte do ano de 2006. Um pouco em semelhança ao que aconteceu com o álbum de estreia, e demonstrando assim que não são uma banda qualquer, “Show Your Bones” foi nomeado como o segundo melhor álbum do ano e o single “Cheated Hearts” como sendo a décima melhor música.

Novo ano, novo EP. Desta vez “Is Is” é lançado em 2007,  incluindo cinco músicas e uma pequena curta-metragem.

E como “Blitz”, para os nossos amigos alemães significa “relâmpago”, também foi um “Blitz” que chegou dos YYY em 2008. Com uma sonoridade um pouco diferente da que nos acostumámos, mas ainda com um toque yeah yeah yeah, “It’s Blitz” chegou a segundo melhor álbum de 2009, com singles como “Zero” ou “Heads Will Roll” , cujo som foi incluído no jogo Gran Turismo 5.

O videoclip de “Heads Will Roll” foi gravado presumivelmente num metro subterrâneo quando um lobisomem bailarino (aposta-se numa forte influência de Michael Jackson) aparece em cena. Um raio solta-se a meio do vídeo e o lobisomem transforma-se, levando a que o mesmo mate toda a gente e o vídeo termine com uma banda assassinada e uma Karen O decapitada a cantar sem nunca perder o glamour que lhe é característico. Apesar do vídeo ter uma vertente grotesca e horripilante, note o caro leitor que o sangue foi substituído por brilhantinas e confetti. Ainda que tendo este toque tão carnavalesco, tenham especial cuidado porque “Heads will Roll” meus caros… “Heads will roll”.



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …