Avançar para o conteúdo principal

Led Zeppelin em Modo Classic Rock

 Link da imagem

Inspirada num velho tema de blues, esta declaração de amor carnal correu os tops dos cinco continentes na transição dos anos 60 para 70. A canção encantou a crítica , o público e  escandalizou os elementos mais conservadores da sociedade, ao longo de várias gerações. Recentemente, ouvimo-la no encerramento dos Jogos Olímpicos de Pequim. Reconhece? Falamos de Whole Lotta Love, o tema de abertura do álbum Led Zeppelin II,  que convidamos a explorar no Modo Classic Rock desta semana…

Por Maria Coutinho



Em 1969 Robert Plant e companhia estavam a percorrer os E.U.A. na sua segunda digressão quando gravaram o segundo álbum de originais. Algumas das músicas de Led Zeppelin II partiram de improvisos em palco e reza a lenda que Whole Lotta Love é uma delas. Embora Jimmy Page o tenha desmentido mais tarde, John Paul Jones, o baixista da banda,  declarou numa entrevista que tudo começara com um solo bem conseguido numa interpretação livre do tema “Dazed and Confused”, obtido num dos concertos da banda.

A banda aproveitou o facto de estar nos EUA para ficar algum tempo nas cidades de Nova Iorque e Los Angeles, onde decorreram a maior parte das gravações. O restante trabalho foi feito em Inglaterra, onde Jimmy Page revelou ser (também) um grande produtor. Jogos de microfones, pequenos amplificadores estrategicamente posicionados, a introdução do chamado “backwards echo” (eco ao contrário), e o uso do maior número possível de botões da mesa de mistura criaram uma nova sonoridade que é considerada um marco na história do Rock.

Editado em Outubro de 1969, o álbum foi divulgado com o slogan “Led Zeppelin ll – já está a voar”, e em Abril de 1970 já era disco de ouro nos E.U.A., com cerca de três milhões exemplares vendidos. Rapidamente chegou ao número um do top de Lp’s americano, destronando o mítico Abbey Road dos The Beatles; permaneceu na tabela de vendas inglesa durante 138 semanas, e visitou lugares cimeiros dos tops da França, Japão, Holanda, Canadá, Austrália, África do Sul, para mencionar apenas alguns. Já em 1999, ultrapassada a marca dos 12 milhões de vendas, o álbum recebia a sua 12ª marca de platina.

O legado de Wole Lotta Love é imenso. Conhecem-se dezenas de versões diferentes do tema. Da longa lista de músicos e bandas que nos brindaram com a sua interpretação do tema, destacam-se os nomes inconfundíveis de Tina Turner, Carlos Santana com Chris Cornell, Prince e até, surpreendentemente, a London Symphony Orchestra.

Mais recentemente, o tema brilhou na cerimónia de encerramento dos Jogos olímpicos de Pequim, num fabuloso dueto de guitarra e voz que juntou no mesmo palco Jimmy Page e Leona Lewis, ao lado de Bavid Beckham. A letra foi, no entanto, subtilmente alterada, para ser mais aceitável numa cerimónia dirigida a miúdos e graúdos: “I’m gonna give you every inch of my love” (vou dar-te cada polegada do meu amor) passou a “I’m gonna give you every bit of my love” (vou dar-te cada pedaço do meu amor), versão mais adequada, também, a uma voz feminina.



E por falar em vozes femininas…Não podemos deixar de mencionar a versão que Diana Piedade fez para o tema, em 2010, no programa de TV “Ídolos”. O que facilmente poderia ter resultado numa tragédia musical foi um momento brilhante de rock puro e duro, com garra e presença, que arrebatou o público e o júri do programa.



Sabia que...


Para finalizar, em jeito de surpresa, o que muitos pensam tratar-se de um original dos Led Zeppelin é, na verdade, em grande parte, um velho tema gravado em 1962 pelo grande mestre dos blues, Muddy Waters, e composto por Willie Nixon, com o título “You Need Love”.



Em 1985, perante o sucesso da versão Plant/Page, Nixon processou a banda por plágio e, com o dinheiro que recebeu no acordo que resolveu o assunto, fundou um programa de entrega de instrumentos musicais nas escolas. ”. Também os Small Faces gravaram uma versão do tema mas, talvez por ter tido resultados de vendas mais modestos, não foram processados por Nixon.



Plant viria a comentar, mais tarde, que eram essas a regras do jogo: só quem tem o maior sucesso é alvo deste tipo de atenções.

Para recordar:


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …