Avançar para o conteúdo principal

Virgem Suta no Inovaluso




“Reajo a esse incómodo olhar, nem quero acreditar que vem na minha direcção” são os versos iniciais de uma melodia muito difundida pelo airplay das rádios portuguesas, desde o Verão de 2010. Nuno Figueiredo e Jorge Benvinda são os Virgem Suta que, na companhia de Manuela Azevedo cantam as “Linhas Cruzadas”, uma despretensiosa canção pop que fica logo no ouvido.Para conferir no Inovaluso desta semana.

Por Susana Terra 

Corria o ano de 1998 quando estes dois amigos de Beja se juntaram para formar os Virgem Suta. As raízes lusitanas são bem visíveis, quer em termos dos instrumentos utilizados – há guitarras mas também o cavaquinho e o adufe – quer em termos de composição lírica – que tema mais português que o vinho bebido numa tasca?

Apadrinhados por Hélder Gonçalves, dos Clã, os Virgem Suta gravaram em Junho 2009 o seu primeiro (e até ao momento único) disco homónimo, o qual foi entretanto reeditado duas vezes, incluindo novos temas, como “Linhas Cruzadas”. Sabemos que Manuela Azevedo é uma força da natureza, uma inesgotável fonte de energia e vitalidade que acaba inevitavelmente por preencher as atenções. Tal não sucede em “Linhas Cruzadas”, sendo a vocalização de Manuela Azevedo bastante subtil, contida, frágil, com as palavras ditas num sopro.

Mas há mais, muito mais no álbum Virgem Suta. Os dois primeiros singles – “Tomo conta desta tua casa” e “Dança do Balcão” – transportam-nos a universos distintos: se a primeira é uma música de festa, na tradição da fanfarra, a segunda é uma tranquila ode ao consumo (pouco moderado) de vinho na taberna para esquecer as agruras da vida.

 É interessante verificar como a música portuguesa, cantada na língua de Camões e Pessoa, tem sido ultimamente alvo de um grande investimento por parte dos músicos nacionais. De fenómenos meramente emergentes ao consolidado estatuto de estrelas, sucedem-se as bandas lusas (não confundir com Banda Lusa…) que apostam no bom português e na revitalização da tradição para conquistar o público. E conseguem, oh se conseguem! 

Dos Deolinda aos Golpes, dos Clã aos Anaquim, dos Ornatos aos Mundo Cão passando, claro está, pelos Virgem Suta, podemos facilmente perceber que a música portuguesa está de boa saúde e recomenda-se, em doses imoderadas.  

Para "ouver": 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …