Avançar para o conteúdo principal

Florence and The Machine na Dança do Som



Link da imagem



Ao falarmos de Florence and the Machine, é quase impossível dissociá-la do tema “You got the love”, que teve um estrondoso sucesso no ano passado. A mistura do folk, do indie e do rock numa vertente mais dançável, levou Florence Welch e a sua banda a alcançarem o estrelato da noite para o dia, hoje na Dança do Som.

Por Carmen Gonçalves



O álbum de estreia “Lungs” foi editado em Julho de 2009 e teve entrada directa para o segundo lugar de top de vendas no Reino Unido, tendo ocupado durante várias semanas o primeiro lugar. Este feito, juntamente com o facto de ter permanecido durante 65 semanas consecutivas no top 40, fez com que se tivesse tornado num dos discos mais vendidos entre 

Mais do que um sucesso de Verão que rodou o ano passado vezes sem conta em diversas rádios, Florence and the Machine provou que “Lungs” é um trabalho coeso, tendo arrecadado a aprovação da crítica e os aplausos dos fãs. Outras bandas reconheceram-na como uma artista de destaque, tendo os britânicos XX, revisitado um dos seus temas:



Este sucesso galgou fronteiras e chegou a terras lusas, tornando-se numa das maiores revelações do ano passado. Por cá atingiu o top 10 de vendas e ainda lotou por completo a Aula Magna em Março, tendo repetido o feito quatro meses depois , no Optimus Alive. A tenda que dá espaço ao Palco Super Bock era pequena para a multidão que se juntou para vê-la e ouvi-la.


Para este ano Florence já anunciou novidades: o novo registo está quase terminado e tem edição prevista para finais de Julho. Ainda sem nome, espera-se que este disco seja um pouco mais cru, ritmado e voltado para o universo da soul. Até lá, aguardamos o resultado final, na esperança que alcance o feito do seu antecessor.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …