Avançar para o conteúdo principal

Florence and The Machine na Dança do Som



Link da imagem



Ao falarmos de Florence and the Machine, é quase impossível dissociá-la do tema “You got the love”, que teve um estrondoso sucesso no ano passado. A mistura do folk, do indie e do rock numa vertente mais dançável, levou Florence Welch e a sua banda a alcançarem o estrelato da noite para o dia, hoje na Dança do Som.

Por Carmen Gonçalves



O álbum de estreia “Lungs” foi editado em Julho de 2009 e teve entrada directa para o segundo lugar de top de vendas no Reino Unido, tendo ocupado durante várias semanas o primeiro lugar. Este feito, juntamente com o facto de ter permanecido durante 65 semanas consecutivas no top 40, fez com que se tivesse tornado num dos discos mais vendidos entre 

Mais do que um sucesso de Verão que rodou o ano passado vezes sem conta em diversas rádios, Florence and the Machine provou que “Lungs” é um trabalho coeso, tendo arrecadado a aprovação da crítica e os aplausos dos fãs. Outras bandas reconheceram-na como uma artista de destaque, tendo os britânicos XX, revisitado um dos seus temas:



Este sucesso galgou fronteiras e chegou a terras lusas, tornando-se numa das maiores revelações do ano passado. Por cá atingiu o top 10 de vendas e ainda lotou por completo a Aula Magna em Março, tendo repetido o feito quatro meses depois , no Optimus Alive. A tenda que dá espaço ao Palco Super Bock era pequena para a multidão que se juntou para vê-la e ouvi-la.


Para este ano Florence já anunciou novidades: o novo registo está quase terminado e tem edição prevista para finais de Julho. Ainda sem nome, espera-se que este disco seja um pouco mais cru, ritmado e voltado para o universo da soul. Até lá, aguardamos o resultado final, na esperança que alcance o feito do seu antecessor.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Charles Chaplin

 Filme "Luzes da Cidade" na Máquina do Tempo

Link da imagem

O Amor é cego
O amor é cego, não escolhe idade nem classe social. Não é interesseiro, é invisível e arde sem se ver, como tão bem demonstra Charles Chaplin no filme "Luzes da Cidade", de 1931. A película rodada em época de eclosão dos filmes sonoros é centrada numa história de amor simples, inocente, muda, mas que dá muito que pensar. 
Por Irene Leite 
Antes de mais, destaque para o olhar encantador que Chaplin impregna em cada cena do filme. É a filosofia do Carpe Diem, de viver e desfrutar cada momento, normalmente associado a aventuras deliciosamente caricatas. 
Em "Luzes da Cidade" assistimos à história de amor entre uma jovem cega e um vagabundo. O encontro entre os dois decorre de uma forma espontânea, na rua. O jovem fica logo interessado. Ao longo do seu percurso (sempre colorido na atitude) encontra um milionário excêntrico a tentar suicidar-se. Chaplin com a sua alegria habitual incentivou…

The Vaccines gravam novo álbum em Março

O próximo trabalho dos The Vaccines será gravado em Março e conta com a produção de Ethan Johns (Ryan Adams, Kings of Leon).


Justin Young , vocalista do grupo, avançou ao NME que o álbum será lançado ainda este ano.


Até lá...