Avançar para o conteúdo principal

Filarmónica Fraude no Luso Vintage





Link da imagem


Apesar de terem no nome fraude,  estão bem longe disso. O grupo  oriundo de Tomar,  em 1968, entrou para a história da música ligeira portuguesa. Em 1969, com uma carreira efémera, lançaram apenas um álbum e dois EPs.

Por Adriano Marques 


O que os torna  únicos é a capacidade de de misturar o género tradicional português com as tendências da música pop daquela altura. Exemplos disso são as músicas “Digo-Dai”, “Homenagem Póstuma” ou o célebre “Menino”.


 "Epopeia", o seu único LP até à data, é hoje considerado uma referência obrigatória da música portuguesa do século XX, tanto que em 1998 foi reeditado pela Universal Music Portugal, integrando a colecção "Coração Português".

Com uma grande inteligência no que diz respeito à crítica social (aliás a censura chegou mesmo a vetar a capa de “Epopeia”, símbolo revolucionário na altura), a Filarmónica Fraude fui um sucesso, tocando assim em todo o lado e graças ao poder do álbum "Epopeia" chegaram rapidamente ao topo, passando a ser também, o declínio da carreira devido às consequências da guerra colonial e ao serviço militar obrigatório.


Quarenta anos depois, o grupo formado por Antunes da Silva – Toneca  (guitarra e som),  Júlio Patrocínio (bateria) e Luís Linhares (teclas) dá pontapé de saída no Cine Teatro Paraíso para uma plateia cheia. É a partir daí, com novos arranjos e uma sonoridade forte e actual,  que o grupo volta a honrar o projecto de 1969, voltando a  reeditar em vinil o álbum "Epopeia", da Filarmónica Fraude. Os elementos de Tomar demonstraram que ainda há muito para dizer e fazer.



Segundo uma informação do blog da banda , "Para a Filarmónica Fraude a estrada não tem fim, nem nos caminhos, nem nos concertos."


Discografia:

"Flor de Laranjeira"/"Problema de Escolha"/"Menino"/"O Milhões" (EP,
Philips, 1969)

"Canção de Embalar"/"Orícia"/"Animais de Estimação"/"Devedor à Terra"
(EP, Philips, 1969)

Epopeia (LP, Philips, 1969)

"O Menino"/"Animais de Estimação" (Single, Philips, 1975 (?))

O Melhor De 2 - Banda Do Casaco / Filarmónica Fraude (CD, Universal, 2001)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Charles Chaplin

 Filme "Luzes da Cidade" na Máquina do Tempo

Link da imagem

O Amor é cego
O amor é cego, não escolhe idade nem classe social. Não é interesseiro, é invisível e arde sem se ver, como tão bem demonstra Charles Chaplin no filme "Luzes da Cidade", de 1931. A película rodada em época de eclosão dos filmes sonoros é centrada numa história de amor simples, inocente, muda, mas que dá muito que pensar. 
Por Irene Leite 
Antes de mais, destaque para o olhar encantador que Chaplin impregna em cada cena do filme. É a filosofia do Carpe Diem, de viver e desfrutar cada momento, normalmente associado a aventuras deliciosamente caricatas. 
Em "Luzes da Cidade" assistimos à história de amor entre uma jovem cega e um vagabundo. O encontro entre os dois decorre de uma forma espontânea, na rua. O jovem fica logo interessado. Ao longo do seu percurso (sempre colorido na atitude) encontra um milionário excêntrico a tentar suicidar-se. Chaplin com a sua alegria habitual incentivou…

The Vaccines gravam novo álbum em Março

O próximo trabalho dos The Vaccines será gravado em Março e conta com a produção de Ethan Johns (Ryan Adams, Kings of Leon).


Justin Young , vocalista do grupo, avançou ao NME que o álbum será lançado ainda este ano.


Até lá...