Avançar para o conteúdo principal

Filarmónica Fraude no Luso Vintage





Link da imagem


Apesar de terem no nome fraude,  estão bem longe disso. O grupo  oriundo de Tomar,  em 1968, entrou para a história da música ligeira portuguesa. Em 1969, com uma carreira efémera, lançaram apenas um álbum e dois EPs.

Por Adriano Marques 


O que os torna  únicos é a capacidade de de misturar o género tradicional português com as tendências da música pop daquela altura. Exemplos disso são as músicas “Digo-Dai”, “Homenagem Póstuma” ou o célebre “Menino”.


 "Epopeia", o seu único LP até à data, é hoje considerado uma referência obrigatória da música portuguesa do século XX, tanto que em 1998 foi reeditado pela Universal Music Portugal, integrando a colecção "Coração Português".

Com uma grande inteligência no que diz respeito à crítica social (aliás a censura chegou mesmo a vetar a capa de “Epopeia”, símbolo revolucionário na altura), a Filarmónica Fraude fui um sucesso, tocando assim em todo o lado e graças ao poder do álbum "Epopeia" chegaram rapidamente ao topo, passando a ser também, o declínio da carreira devido às consequências da guerra colonial e ao serviço militar obrigatório.


Quarenta anos depois, o grupo formado por Antunes da Silva – Toneca  (guitarra e som),  Júlio Patrocínio (bateria) e Luís Linhares (teclas) dá pontapé de saída no Cine Teatro Paraíso para uma plateia cheia. É a partir daí, com novos arranjos e uma sonoridade forte e actual,  que o grupo volta a honrar o projecto de 1969, voltando a  reeditar em vinil o álbum "Epopeia", da Filarmónica Fraude. Os elementos de Tomar demonstraram que ainda há muito para dizer e fazer.



Segundo uma informação do blog da banda , "Para a Filarmónica Fraude a estrada não tem fim, nem nos caminhos, nem nos concertos."


Discografia:

"Flor de Laranjeira"/"Problema de Escolha"/"Menino"/"O Milhões" (EP,
Philips, 1969)

"Canção de Embalar"/"Orícia"/"Animais de Estimação"/"Devedor à Terra"
(EP, Philips, 1969)

Epopeia (LP, Philips, 1969)

"O Menino"/"Animais de Estimação" (Single, Philips, 1975 (?))

O Melhor De 2 - Banda Do Casaco / Filarmónica Fraude (CD, Universal, 2001)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …