Avançar para o conteúdo principal

Freud & Eu no Inovaluso





São do Porto, apresentam densidade lírica e prometem que vieram para ficar. Nós ficamos convencidos e esperamos por mais desenvolvimentos, pois já começa a ser desenhado sucessor ao registo de estreia (2010) , "Sinto Falta de Acordar". Freud & Eu no Inovaluso.


Por Irene Leite 

O grupo é composto por Bruno Nicolau (voz), Peter Vieira (Sax), Luís Ribeiro(guitarra), Sérgio Valmont (baixo) e Rui Ribeiro (bateria).





1-Porquê o nome Freud & Eu? Estará relacionado com a densidade psicológica presente nos vossos temas?

Sim, o nome Freud&Eu surge mediante um conceito estético e lírico que foi definido na sua génese e que está relacionado com a pesquisa da psique, a análise ao consciente e subconsciente na qual todos nós reflectimos de quando em vez. No fundo o nome surge de uma hipotética conversa entre Freud e qualquer um de nós.


2-Como e quando surgiu o projecto?

O projecto é subsequente a outro projecto com a mesma formação. Houve uma real necessidade de começar de novo visto que o som da banda já não poderia ser o mesmo se as ideias e visões dos seus elementos já não eram as mesmas. E assim formou-se esta & companhia centrada num som mais denso e turvo, com maior risco na palavra.


3-Há alguma temática predilecta para os Freud&Eu?


No fundo tudo o que sejam temas que questionem a nossa condição humana, o nosso intento, a nossa fórmula de pensar, agir, desafiar. No entanto tanto podemos falar em demência e isolamento ("Setenta e tal segundos de lucidez") como falamos de uma voz que surge no mundo como a derradeira esperança de reforma e revitalização humana ("A voz").

4-Quais são as vossas principais influências?


As nossas principais influências são muito distintas entre membros mas encontram-se num quadro comum. Vão desde King Crimson a Radiohead, Faith No More, Sigur Rós, Jafumega, etc.

5-Como tem sido o feedback do público?

Tem sido gradual, não foi uma explosão mediática imediata, nem era isso que queríamos desde o início. Causamos sempre grande impressão nos públicos para os quais tocamos e temos a distinta noção que é um projecto de longa duração e não uma banda fugaz e pré datada.

6-Quais são os vossos planos futuros?


Neste momento estamos em estúdio a gravar aquilo que será um novo EP de Freud&Eu, na senda de um próximo álbum, e é uma altura muito criativa onde o som de Freud&Eu parece estar já cristalizado e pronto a ser colhido.

Comentários

  1. Boas!

    Têm algum contacto da banda? Não consigo encontrar nada recente...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …