Avançar para o conteúdo principal

The Legendary Tigerman na Dança do Som





Há músicas que passam por gerações e gerações. Outras caem no esquecimento. E ainda há aquelas que por terem tanto sucesso são reaproveitadas por inúmeros cantores. E a qual me refiro? “These Boots are made for Walking”. Essa mesmo. Nasceu com Nancy Sinatra, manteve-se com Jessica Simpson e tornou-se uma mulherzinha com o one man band português. O senhor do blues. O líder da guitarra, bateria e Kazoo. Legendary Tigerman.

Por Ana Luísa Silva
Originalmente publicado a 25 de Novembro de 2010 

Explorando as margens dos blues electrificados, com uma atitude de tipo durão e com a guitarra a transbordar de soul, Paulo Furtado anda a quebrar corações de miúdos e graúdos desde 2002.

“Femina”, o novo álbum do “legendário”, assombrado alter-ego de Paulo Furtado, traz-nos esta e muitas outras músicas acompanhadas pelas mais variadas artistas femininas de todo o panorama musical internacional.

Não fosse ele um Don Juan, este álbum não documentaria os inúmeros encontros femininos que manteve. Asia Argento, Peaches, Becky Lee, Rita Redshoes, Lisa Kekaula (The Bellrays), Mafalda Nascimento, Cibelle e Maria de Medeiros foram as escolhidas. Mas acalmem-se. Com tanto mulherio no meio, o nosso Tigerman continua a ser um one-man band como ainda não se vê por terras lusas.

Femina foi a concretização de uma serie de fantasias estéticas e Paulo Furtado caracteriza este álbum como uma ideia difusa de mulher, mas com alvos muito concretos. Muitas canções foram escritas pelo próprio e directamente para cada uma das senhoras. Contudo, há aquelas mais famosas, que foram eleitas a dedo para serem interpretadas pelas mais belas vozes femininas. E uma das escolhidas foi precisamente e portuguesa mais internacional: Maria de Medeiros.

Com um vídeo que faz lembrar o cinema antigo, a roçar no estilo de “Charlie Chaplin” a rodagem do mesmo passa-se num picadeiro onde Medeiros se passeia montada num cavalo. A sua voz de menina pequena e inocente encaixa que nem uma luva em toda a montagem feita por Furtado. A letra, essa, assume um tom desafiante quando proferida por uma das “Feminas”.

O Legendary Tigerman está para ficar. Ele que prepare as botas. Aquelas botas que servem para ele andar sempre a caminho do bom porto.

Are you ready boots? Start walkin'!




Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …