Avançar para o conteúdo principal

Pearl Jam no Vídeo do Mês








No ano em que os Pearl Jam comemoram o seu vigésimo aniversário com o lançamento do documentário “Pearl Jam Twenty” e da respectiva banda sonora, a rubrica “Vídeo do Mês” vem recordar o tema Jeremy, extraído do álbum debutante “Ten”. Confira.

Por Patrícia Rodrigues

“Então, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, comeu, e deu a seu marido, e ele também comeu.” Génesis 3:6


Jeremy, tal como a estória do jovem Jeremy Wade Delle que serviu de inspiração à canção e ao vídeo, é inquietante e perturbador e o seu objectivo é abalar as consciências adormecidas. Jeremy é este menino, que todos temos um pouco dentro de nós, que tenta sobreviver a todo o custo a um mundo adormecido, estático, rígido, onde sobra pouco lugar para a diversidade e para a criatividade. Alguns de nós ainda conseguimos manter vivos os nossos sonhos de liberdade, de sermos reis em cumes de montanhas erguendo mãos em V a saudar o sol cor-de-limão, outros deixam-nos dormir um sono tranquilo, e ainda outros deixam-nos viajar de planeta em planeta qual pequenos príncipes à la Saint-Exupéry. Quer se seja vítima de bullying ou não, esta é uma viagem de iniciação que toda a criança acabará por ter de fazer ao mundo instaurado por uma sociedade regida por valores duvidosos, que subverte toda inocência.


Nesta luta pela sobrevivência, Jeremy deixa-se contaminar pelo veneno da sociedade, que age de uma forma tão subtil como letal (“The serpent was subtil”, cf vídeo Jeremy) e ao querer provar do fruto que lhe parecia inacessível de ser compreendido e aceite pelos demais, o jovem outrora descrito como aborrecido, ignorado e inofensivo liberta a fera dentro de si e finalmente “… spoke in class today”. As causas para a tragédia surgem enumeradas no grande quadro negro: crise existencial, desordens de ansiedade, stress ambiental, factores hereditários, (…). Atitude própria de quem precisa etiquetar e justificar todo o comportamento disfuncional para validar a autoridade do grupo sobre o indivíduo.


O vídeo concebido e realizado por Mark Pellington conquistou quatro MTV Video Music Awards em 1993, incluíndo Best Video of the Year, Best Group Video, Best Metal/Hard Rock Video e Best Direction e gerou alguma polémica em torno da violência que poderia estar a ser exacerbada por certas imagens e quiçá por servir como apologia a um comportamento dissidente e em último caso ao suicídio nos jovens adolescentes. Por causa desta quezília, os Pearl Jam não editaram nenhum vídeo ao longo dos seis anos seguintes, pois consideravam que os seus fãs se distanciavam do que realmente importava: as canções.


De qualquer forma, o vídeo e a canção Jeremy fizeram jus ao chamado de atenção do qual o jovem homónimo foi actor. O trágico acidente não serviu apenas para preencher um parágrafo de um jornal local. Ele entrou nas nossas casas, foi entoado de boca em boca qual hino de um movimento juvenil - um marco dos anos 90.

Para recordar: 






Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …