Avançar para o conteúdo principal

Blondie na Dança do Som




Preparem os glitters, as luzes psicadélicas, o lipgloss, os lamés e deixem-se envolver pelo ambiente glamoroso do Disco Sound . A viagem é garantida pela  voz doce e sensual da poderosa Debbie Harry,  ao som do “must” das pistas de dança: “Heart Of Glass”

Por Patrícia Rodrigues
Originalmente publicado a  11 de Novembro de 2010



Ninguém esperaria que os Blondie, uma banda americana dos anos 70 , pioneira nos EUA do punk e do new-wave, surgissem em 1978 com este tema. Trata-se de  uma remasterização do original “Once I had a love”, que também ficou literalmente conhecido como “The Disco Song”,  na demo de 1978.



Mas não pensem que tal denominação descarada se deve a algum tipo de presunção ou arrogância por parte da banda. O tom é certamente irónico e jocoso,  tal qual a concepção desta versão tão apelativa para as  massas e tão decepcionante para os fãs do grupo.

 A canção foi composta por Debbie e Chris Stein , com a ajuda do sintetizador de Jimmy Destri no seu desmazelado apartamento em Nova Iorque.  Heart of Glass não foi mais que  um acto de rebeldia contra o que era “in” no momento. O resultado do trabalho foi algo totalmente inesperado , como unir o punk/ new wave ao disco. 

Desconcertante, não? E se uma experiência, tão criticada por muitos, resulta em ser o número um nos EUA e no Reino Unido , projectando o grupo para o nível do estrelato não a faz de todo uma aventura falhada.

Mas não julguem o talento da nossa “Blondie” apenas com base neste registo. Também não reduzam a icónica Debbie ao estigma das loiras, pois esta senhora não adormeceu à sombra da sua beleza,  que lhe poderia ter conferido o estatuto de “sex symbol”, algo hoje tão em voga.

Ela continua a dar um talentoso e multifacetado contributo, tendo-se tornado um ícone para as vocalistas femininas da cena musical alternativa , ao conciliar a irreverência com a sua feminilidade voluptuosa.

Um conselho:Façam uma pequena viagem à sua discografia e (re-) descubram os “Blondie”. Não se arrependerão… 

O mais recente trabalho, Panic of Girls, não engana. 


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …