Avançar para o conteúdo principal

Manfred Mann em modo Classic Rock






Os Manfred Mann têm uma sonoridade bastante “betleana”, passando a expressão. Não admira, porque fazem parte do movimento britânico pop dos anos 60. São considerados uma banda de rhythm and blues e de pop. O nome o grupo provém do seu teclista e fundador sul africano Manfred Mann, hoje em modo Classic Rock. Confira.

Por Júlia Rocha

Em 1962 surgiam os Mann-Hugg Blues Brothers, em Londres. O teclista Manfred Mann juntava-se ao baterista Mike hugg. A onda blues varria os bares e clubes de música londrinos, assim como a sonoridade pop que dominava. A banda ficava completa com Mike Vickers na guitarra, saxofone e flauta, Paul Jones na harmónica e voz. Neste momento, a banda muda de nome para Manfred Mann & The Manfreds. A atração da banda residia principalmente na sonoridade típica e bastante particular das teclas de Manfred.

Foi quando assinaram com a HMV Records em 1963 que adoptaram finalmente, o nome que os imortalizou. Os primeiros singles lançados não obtiveram muito sucesso.


O reconhecimento só começaria a surgir nos anos seguintes. Em 64, foram convidados a compor o tema para uma série de televisão , o “Ready Steady Go!”. Foi assim que surgiu a música “5-4-3-2-1”que atingiu a quinta posição nas tabelas da Billboard. Pouco depois da gravação deste tema, Tom McGuinness integrou o grupo, para substituir Richmond. As mudanças nos Manfred Mann não se ficariam por aqui.


Começaram a lançar mais sucessos como “Do Wah Diddy Diddy”.


Faziam algumas covers que saiam para o público misturados com temas originais, mas com a sua sonoridade bem específica. Nestes covers estavam muitos sucessos de Bob Dylan. Em 1965, Paul Jones anunciou querer sair da banda para seguir projectos a solo. Assim como Mike Vickers. Mike d’Abo substituiu Jones (curiosamente Rod Stewart fez parte desta lista de candidatos). As mexidas nos Manfred Mann no final da década de 60 foram intensas.


Com Mike d’Abbp a sonoridade passou a ser num estilo mais acústico com algum conteúdo político-social. Em 1968 conseguiram o terceiro número um nas tabelas “Mighty Quinn”, uma cover de uma música de Bob Dylan.


No entanto, e apesar do sucesso de alguns temas, os álbuns não atingiam grandes vendas e as mudanças na banda acabavam por ser desgastantes. Os Manfred Mann separaram-se em 1969.

Os membros dispersaram. Mike Hugg e Manfred Mann formaram uma banda de jazz rock experimental conhecida como Manfred Mann Chapter Three. Contudo este grupo só durarua até 71. Mais tarde Mann formaria Manfred Mann’s Earth Band.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …