Avançar para o conteúdo principal

Espaço "You Got Mail"






Por António Jorge 

Prometi a mim mesmo que não, que não iria falar nos vinte anos de “Never Mind “. Não quero saber do antes e do pós Nirvana, nem do Kurt, nem do Dave e que a Yoko; não! A Yoko não é desta história, a Courtney é que é, verdade? Não vou falar, mesmo. Promessa feita,  celebremos então o fim do Verão (ou a chegada do Outono, quando olhado mais perto da janela), com a garantia de que os próximos meses irão trazer mais e melhor música. Os novos álbuns de Sérgio Godinho, Jorge Palma, Carlos (PAC) Nobre, Mundo Complexo, Cansei de Ser Sexy, Deus e Selah Sue são apenas alguns dos vários likes para postar. Para já embalo-me diariamente, quase enfeitiçado ao som de “Duets II” de Tony Bennet. Oiçam “Body & Soul” com Amy Winehouse e tentem dizer que é deste Mundo. É que não é mesmo! Só dizer que este álbum faz de Tony Bennet o artista com mais idade a chegar ao número um do Top norte-americano da Bilboard: o título era de Bob Dylan. É também oficial; Setembro de 2011 consagra P.J.Harvey como a primeira artista a vencer duas vezes o prestigiado Mercury Prize (prémio que distingue o melhor álbum britânico do ano). “Let England Shake” é mesmo para (re) descobrir, intervalando digo eu, com algumas audições a “ Twenty” dos Pearl Jam. O álbum chegou a número um do Top Nacional de vendas, o documentário (com o mesmo nome) de Cameron Crowe ultrapassou as melhores expectativas. Afinal e como diria Vedder,”todos nos amam, todos amam a nossa cidade”. Na senda do amor, os apaixonados pela mítica guitarra “Gibson” têm este mês e só este mês, a oportunidade de comprar uma das novíssimas “ Firebird X”. A edição é limitada (1800) e cada exemplar custa 5,500 dólares. Por cá, na Covilhã termina hoje, dia 1 de Outubro, o Festival 5 Estrelas, com Gift e Pete Tha Zouk entre outros e lá por fora, Ricardo Ribeiro terá honras de abertura da IV Edição do Festival Internacional de Jazz de Beirute. Quase no final, e sob a égide “Why Pink Floyd?”, espaço para recordar que 35 anos depois do álbum “Animals”, o popular porco floydiano voltou a sobrevoar a agora desactivada Battersea Power Station, em Londres. Vêm aí os 14 álbuns de estúdio da banda e material para (re) descobrir. De saída, estão os R.E.M., 30 anos e 15 álbuns depois (contagem decrescente para a estreia a solo de Stipe), mas regressam os Radiohead. Thom York anunciou na passada semana, novo álbum e nova digressão. Hoje, 1 de Outubro, dia Mundial da Música é obrigatório soltar o melómano que há em nós.

Momento Zé (n) – “nunca ouvi Ok Computer dos Radiohead”. Liam Gallagher

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Foto da Semana

Iggy Pop Foto:Annie Leibovitz

Sitiados no Luso Vintage

Link da imagem


Sob a égide de João Aguardela, um talento musical falecido em 2009, nasceu nos finais dos anos 80 uma banda que trouxe para o panorama do rock português a música tradicional. Os Sitiados marcaram (e ainda conquistam) gerações, com novos sons e sobretudo, muito talento e atitude.



Por Gabriela Chagas


O tema “Esta vida de marinheiro” (vendeu mais de 40 mil cópias) é um dos exemplos desse novo som da década. Desapareceram em 2000 , mas deixaram-nos a sua herança. Sitiados, a banda hoje em destaque no Lusovintage do Som à Letra foi beber à tendência sonora dos irlandeses The Pogues.


José Resende (Guitarra), João Aguardela (Voz) e Mário Miranda (Baixo), todos eles ex-Meteoros, juntaram-se assim ao baterista Fernando Fonseca.

À semelhança de outras bandas emblemáticas dos anos 80, os Sitiados também marcaram presença no Rock Rendez Vous. Dinamizados por João Aguardela, concorrem ao 5º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vouz e ficam em 2º lugar, atrás da banda do seu primo Ar…

Cesário Verde

 Link da imagem
Poeta pintor, poeta repórter

Cesário Verde é um poeta do século XIX que se enquadra na estética realista, ainda que nas suas produções poéticas esteja presente a influência de outras correntes como o Parnasianismo, o Impressionismo e o Surrealismo. Para o autor, o mundo externo conta de modo pimacial , e é através da "descrição" deste mundo (mutável e miscelâneo) que lhe podemos conferir a designação do poeta repórter e poeta pintor.

Por Irene Leite 


Recorrendo ao poema ,  "Num Bairro Moderno" , podemos confirmar esse gosto pela descrição: "Dez horas da manhã; uma casa apalaçada ; pelos jardins estancam-se as nascentes". Ao descrever e relatar esta paisagem , o autor recorre à técnica cinematográfica do corte e da montagem de acontecimentos justapostos, ressaltando-se o seu carácter deambulatório , o que nos leva à conclusão de que Cesário Verde é um poeta repórter. 


No entanto, a sua poesia caracteriza-se também pela existência de uma …